Transtorno obsessivo compulsivo: diagnóstico e como tratar

Transtorno obsessivo-compulsivo, comumente conhecido como TOC, é um transtorno psiquiátrico caracterizado por pensamentos obsessivos e intrusivos. A condição também pode fazer as pessoas apresentarem comportamentos compulsivos e repetitivos relacionada à limpeza e organização.

Pacientes com esta doença sofrem com imagens e pensamentos que chegam a eles com insistência e muitas vezes sem a capacidade de controlá-los ou preveni-los.

No entanto, a única maneira de controlar esses pensamentos e aliviar a ansiedade. Os pacientes fazem isso através de rituais repetitivos, que muitas vezes podem ocupar todo o dia da sua vida social, profissional e pessoal.

O que é transtorno obsessivo-compulsivo

O transtorno obsessivo-compulsivo gera um ritual “necessário” para o individuo. Este comportamento irracional e repetitivo, cheio de padrões extremamente rigoroso, com regras e etapas, que são determinados pela própria pessoa.

É muito comum acreditar que, se não realizar o ritual, algo terrível pode acontecer com o paciente. Esse comportamento piorar a partir do momento que não se é tratada a doença. Portanto, é de suma importância o diagnóstico precoce. Para que assim seja feito o tratamento desse paciente.

Quais os tipos de transtorno obsessivo-compulsivo

Existem dois tipos de TOC, quando a pessoa não tem comportamento compulsivo. TOCD, em que seremos pensamentos obsessivos, mas um homem não mostra necessariamente comportamento compulsivo.

O TOC com comportamento compulsivo é a obsessões e rituais frequentemente repetidos, cujo cuidado só pode ser aliviado e controlado por esses rituais, que são compulsivamente repetitivos e dificultariam, na vida daqueles que sofrem da doença e daqueles que estão próximos deles.

Causas transtorno obsessivo-compulsivo

Para entender e esclarecer as causas do transtorno obsessivo-compulsivo, devemos recorrer a ciência. Basicamente, o que se sabe é que as pessoas com essa doença a adquiriram por diversos fatores, embora não sejam concretos ainda os estudos.

Aparentemente, o transtorno se desenvolve a partir da predisposição genética, alterações da neuroquímica cerebrais, e fatores psicológicos. Um desses fatores é referente a aprendizagens, em que os pacientes aprenderam a lidar de forma errada com medos e ansiedades.

Sobretudo, fatores de natureza biológica envolvendo os rituais para lidar com o desconforto e evitar o contato com objetos, pessoas ou situações de medos, ao invés de lidar com eles. Além disso, as pessoas com TOC percebem e interpretam a realidade de forma distorcida.

Geralmente, o paciente com transtorno obsessivo-compulsivo exagera nos pensamento de riscos e responsabilidades, bem como, costuma exagerar nas consequências.

Diagnóstico do TOC

Transtorno obsessivo-compulsivo: diagnóstico e como tratar
Imagem: Ilustrativa.

As características principais do transtorno obsessivo-compulsivo é o perfeccionismo meticuloso em excessivos. Um individuo com TOC, geralmente, tem um comportamento autoritário e inflexível, exagerado na dedicação ao trabalho, exigência, preocupação com regras, detalhes e formalidades.

Além disso, percebe-se uma personalidade estáveis, precoces e tem obsessão por simetria. Habitualmente, as pessoas com TOC são egodistônico, ou seja, tem sentimentos e pensamentos perturbam a si próprio.

As obsessões aparecem devido aos pensamentos e impulsos indesejáveis e involuntários. Com isso, há uma acentuada ansiedade e desconforto que obriga o paciente a realizar os seus rituais.

No entanto, essas compulsões precisam ser realizadas em uma busca sofrida de resposta às obsessões, para que as ameaças não ocorram. Muitas delas aterrorizantes, como a casa pegar fogo.

➥ Conheça as compulsões

  • Medo da morte

O medo da morte nos pacientes com transtorno obsessivo-compulsivo e referente a outras pessoas. Sobretudo, começa a se instalar um medo repentino de que algum ente querido morra.

O medo se torna uma grande angustia que paralisa o individuo, até que vem a obsessão compulsória para fazer algo que evite a ação da morte nesse individuo.

Os rituais vão desde checar a pulsação, observar sua respiração e verificar ligando para tal pessoa para saber se está tudo bem.

  • Limpeza

Outra compulsão inevitável em alguns dos pacientes é achar que nada que faça para limpar algo estará limpo o suficiente. Muitos, tem medo de não estar com as mãos limpas o suficiente e passar doenças contagiosas para os outros. Alguns casos a pessoa tem que limpar o corpo inteiro e chegam até a se machucar por não chegarem a limpeza necessária que a mente o induz.

  • Acreditar que tem uma doença

Sentir-se doente por ser uma pessoa má.

Tratamento

O tratamento de TOC é de certo modo complexo, através de medicamentos e terapia com o psicologo. O medicamento é um tratamento com antidepressivos, inibidores da recaptação de serotonina. No entanto, estes são os que funcionam para esse caso.

Medicamentos psiquiátricos que ajudam o paciente na hora de controlar as obsessões e compulsões relacionadas ao transtorno.

Os antidepressivos são a primeira opção nos casos de TOC. Mas, vale lembrar, que o paciente irá usar outros medicamentos, como antipsicóticos e ansiolíticos também são usadas para tratar ou controlar os sintomas do TOC.

A psicoterapia cognitivo comportamental é considerada também é usada tratamento para TOC, principalmente se combinado com medicamentos.

A terapia cognitivo-comportamental é bastante eficácia e traz resultados expressivos para o paciente ligado ao transtorno obsessivo-compulsivo. A princípio o paciente será exposto a ações de ansiedade, bem como duas maneiras de abordagem terapêutica.

Leia também: Desenvolvimento da preensão: Conheça as etapas e como estimular

Susan Scarpelli
Graduada em Terapia Ocupacional, psicomotricista e especialista em neuropediatria. Além disso, possui Certificação Internacional de Integração Sensorial. É idealizadora e fundadora do Criando Infância.
Deixe seu comentário