Motricidade infantil na educação infantil: Como brincar, dicas de atividades

A motricidade infantil na educação infantil está ligada ao desenvolvimento motor da criança. É basicamente o conjunto de ações de um indivíduo que permite o movimento. Brincar desempenha um papel fundamental nesse processo, proporcionando oportunidades para as crianças explorarem, experimentarem e desenvolverem suas capacidades físicas.

Definição de motricidade infantil na educação infantil

Como brevemente mencionado anteriormente, a motricidade infantil refere-se ao conjunto de ações que determinam o movimento. Os elementos essenciais da motricidade incluem motricidade fina, motricidade global, equilíbrio, esquema corporal, organização espacial, organização temporal, linguagem e lateralidade.

Na motricidade infantil na educação infantil, a exploração oferece diversos benefícios para a criança, permitindo-lhe explorar ativamente o ambiente e desenvolver habilidades sociais. Durante os primeiros anos de vida, ocorre o desenvolvimento motor fundamental, incluindo a conquista da posição bípede, que é considerada a primeira forma de locomoção.

A interação da criança com o mundo durante esses primeiros anos resulta em experiências constantes. Dessa forma, é possível combinar, por exemplo, a locomoção com o equilíbrio e a manipulação de objetos, proporcionando à criança a compreensão e a atribuição de função a cada novo objeto, contribuindo para o desenvolvimento de conhecimento cultural, social e intelectual. É importante ressaltar que as habilidades de motricidade infantil na educação infantil geralmente se desenvolvem antes das habilidades de motricidade fina, devido a fatores neuromotores, ocorrendo de maneira gradual ao longo do tempo.

O desenvolvimento motor desempenha um papel fundamental não apenas como base para uma aprendizagem eficaz, mas também no desenvolvimento sensorial.

Base Nacional Comum Curricular e a escola

A Base Nacional Comum Curricular, também conhecida como BNCC, determina que dos 4 aos 17 anos é obrigatório a educação básica. Logo, os direitos de aprendizagem e desenvolvimento da educação infantil conta com: 

  • Conviver com crianças e adultos em grupos diversos, seja pequeno ou grande, por meio de diversas formas de comunicação, contribuindo para uma maior compreensão de si mesmo e dos outros. Essa interação promove o desenvolvimento do respeito em relação à cultura e às distintas características entre as pessoas.
  • Brincar, participando diariamente de atividades lúdicas de variadas naturezas, em distintos ambientes e momentos, envolvendo diferentes companheiros, sejam eles crianças ou adultos. Isso visa a expandir e enriquecer o acesso a diversas manifestações culturais, adquirir conhecimentos, estimular a imaginação, fomentar a criatividade e vivenciar experiências abrangentes nos aspectos emocionais, corporais, sensoriais, expressivos, cognitivos, sociais e relacionais.
  • Participar ativamente, juntamente com adultos e colegas, tanto na concepção da administração escolar e nas atividades propostas pelo educador quanto na execução de tarefas do dia a dia, como a seleção de brincadeiras, materiais e ambientes. Esse envolvimento visa o desenvolvimento de diversas formas de comunicação, a construção de conhecimentos, a tomada de decisões e a expressão de opiniões.
  • Explorar movimentos, gestos, sons, formas, texturas, cores, palavras, emoções, transformações, relações, narrativas, objetos e elementos da natureza, tanto no ambiente escolar quanto fora dele, para a expansão do conhecimento acerca da cultura. Essa exploração abrange diversas formas de expressão cultural, incluindo as artes, a escrita, a ciência e a tecnologia.
  • Expressar como um indivíduo participante de diálogos, dotado de criatividade e sensibilidade, suas necessidades, emoções, sentimentos, dúvidas, hipóteses, descobertas, opiniões e questionamentos, utilizando diversas formas de expressão.
  • Conhecer-se em identidade pessoal, social e cultural, formando uma percepção positiva tanto de si próprio quanto dos grupos aos quais pertence. Isso ocorre por meio das variadas experiências de cuidado, interações, brincadeiras e expressões linguísticas vivenciadas tanto na instituição escolar quanto no ambiente familiar e comunitário.

Por que o desenvolvimento motor é importante para a escrita?

Frequentemente nos deparamos com essa pergunta. É crucial entender que a motricidade fina, essencial para a escrita, abrange atividades manipulativas que vão além do uso de lápis e caneta, incluindo objetos indispensáveis no cotidiano. Portanto, o desenvolvimento dessa habilidade é fundamental para evitar dificuldades durante a escrita.

O processo de desenvolvimento da motricidade infantil na educação infantil segue etapas cruciais para a preparação à escrita, abordando aspectos como coordenação motora fina, ganho de força muscular, controle de movimentos, integração bilateral, percepção visuomotora, habilidades de preensão e desenvolvimento cognitivo. Abordaremos cada um desses processos antes de apresentar dicas de atividades.

Coordenação motora fina

A escrita exige habilidades de coordenação motora fina, ou motricidade fina, para controlar movimentos precisos dos músculos das mãos e dos dedos. Isso é essencial para formar letras e traços de maneira legível.

Força muscular

A força muscular nas mãos e nos dedos é necessária para manter uma aderência adequada no lápis e para aplicar pressão suficiente ao escrever. A falta de força pode levar a letras fracas ou ilegíveis. Existem inúmeras atividades que podem ser feitas para força muscular, dentre elas a massinha de modelar, muito usada na educação.

Controle motor

O desenvolvimento motor contribui para o controle dos movimentos das mãos e dos dedos, permitindo que a criança siga as linhas, espaçe corretamente as palavras e mantenha uma orientação adequada ao escrever. O controle motor, bem como esquece corporal são bem desenvolvidos em aulas de educação física.

Integração bilateral

A escrita envolve a coordenação entre as duas mãos. O desenvolvimento motor ajuda na integração bilateral, permitindo que a mão não dominante ajude a estabilizar o papel, enquanto a mão dominante escreve. Quando esta habilidade não está desenvolvidas, a criança também apresenta dificuldades motoras, como fazer polichinelo, pedalar, usar todos os membros do corpo simultaneamente.

Percepção visuo-motora

A capacidade de integrar informações visuais e motoras é essencial para seguir modelos de letras, espaçar palavras corretamente e desenvolver uma orientação espacial adequada durante a escrita. 

Habilidade de preensão

O desenvolvimento motor influencia as habilidades de preensão, como o movimento de pinça, que é fundamental para segurar o lápis corretamente. Vale lembrar que a habilidade de preensão se inicia ainda por volta de 8 meses.

Desenvolvimento cognitivo

Há uma interconexão entre desenvolvimento motor e cognitivo. As atividades motoras ajudam a desenvolver o cérebro, o que, por sua vez, influencia a capacidade de aprender e aplicar habilidades de escrita.

O desenvolvimento motor fino é incorporado de maneiras diferentes em metodologias como Waldorf ou Montessori. Eles olham as habilidades motoras finas como um desenvolvimento gradual e que deve ser respeitado. Cada etapa de desenvolvimento, uma nova conquista.

Atividades de motricidade para educação infantil

Muitas são as atividades de motricidade infantil e elas são num primeiro momento, fora de sala de aula, em um amplo movimento. Portanto, a primeira atividade apresentada para a educação infantil é o circuito.

Circuito

Os circuitos geralmente são realizados com mais de uma atividade, assim fazendo com que a criança use habilidades importantes, como: planejamento motor, coordenação motora grossa (ou global como também chamada), percepção visomotora, noção espacial.

Uma criança pode realizar um circuito com bambolês pulando dentro dele, cones passando de um lado para o outro, cadeira passando por baixo dela, pé de lata, acertar a bola no alvo ou argolas em uma haste, fazer um gol ao final com um travessão pequeno, jogar a bola para um amigo. A criatividade deve ser bem utilizada nesse momento pelos professores e dependendo da idade, pode se utilizar palavras e frases com comando.

Atividades rítmicas na educação infantil.

Dança como apoio em motricidade infantil na educação infantil

Explore a imaginação e o corpo da sua criança através da dança. Outras atividades como “morto”, “vivo” pode ser explorada com outras palavras. Na dança use dos movimentos para coordenação e planejamento motor. Pode misturar a pintura de rosto e no corpo para trabalhar lateralidade.

Labirinto em papel kraft.

O professor pode usar de diferentes níveis de dificuldade, trabalhando com crianças de 2 a 6 anos. As crianças pode ajudar a confeccionar o labirinto com orientação, através de fita adesiva, pedrinhas. Isso tudo depende do que o professor quer explorar de habilidades.

Alinhavo

Use papelão para fazer os furinhos do alinhavo e cadarço ou barbante. Ele pode ser grande ou pequeno e ser feito com linha. Utilize de figuras (borboletas, carros, bola, etc) para que haja um contorno com mais complexidade.

Pareamento simples com formas geométricas.

Realize pareamento simples através do papel kraft ou cartolina desenhando as formas geométricas. Faça outros desenhos e dê para a sua criança parear. Logo, poderá colocar velcro para facilitar na hora de prender. Isso ajudará a desenvolver a motricidade infantil.

Torre de massinha de modelar ou palito.

O primeiro passo para confeccionar essa torre é necessário pegar a massinha de modelar e faça tiras. Contudo, pode ser realizado com tiras redondas, trabalhando ainda mais a destreza manual ou simplesmente cortar com tesoura/faca (sem corte para não machucar). Após finalizado esse processo, inicie a montagem como uma fogueira, cruzando os palitos.

O desenvolvimento da criança não depende apenas da escola, mas também da educação em casa. Portanto, pais e/ou responsáveis, estimule a criança em casa. E estimule também a enfrentar desafios encontrados, para que no futuro não se frustrem e desistam de seus objetivos.

Como responsáveis, vocês devem também solicitar avaliações periódicas apontando o normativo e quais desafios a sua criança encontra, bem como quais são as suas potencialidades e como isso pode se interligar para ajudá-la.

Desafios da inclusão na motricidade infantil na educação infantil

Muitos são os desafios encontrados quando falamos em inclusão social. Há muitas barreiras que deixam o desafio muito maior, sendo elas as barreiras arquitetônicas, atitudinais (preconceito e/ou algo que torne o ambiente hostil), de comunicação, educacionais, institucionais, tecnológicas, sociais, econômicas, transporte e saúde mental. 

Superar essas barreiras requer um esforço coordenado em vários níveis, incluindo mudanças nas atitudes, políticas inclusivas, adaptações físicas e educacionais, e a promoção de uma cultura que valorize a diversidade.

Aproveitando para encerrar este conteúdo deixando algumas dicas de livros sobre inclusão social. 

Imagens do texto ilustrativas.

Susan Scarpelli
Graduada em Terapia Ocupacional, psicomotricista e especialista em neuropediatria. Além disso, possui Certificação Internacional de Integração Sensorial. É idealizadora e fundadora do Criando Infância.
Veja também
Deixe seu comentário